Publicado em Biblioteca

Toques Para Mulheres

Autor: Edson Rossatto

Editora: Giz Editorial

Ano: 2012

Foi por acaso que comprei este livro. Estava eu no Teatro Adamastor em Guarulhos (tinha ido para um Sarau da revista virtual de uma amiga), quando deparei com uma mini Bienal do Livro lá dentro. Entrei no salão para dar uma olhada sem compromisso, e dois autores que estavam num estande próximo da entrada, me chamaram a atenção. Ao me aproximar, achei que esses dois fossem apenas funcionários do evento, mas quando percebi que o cara na minha frente era praticamente igual ao da capa do livro que estava atrás dele, foi que me dei conta que eram os próprios escritores ali, e valorizei muito isso!

Comecei a conversar com eles a respeito, e o Edson, autor deste livro, me perguntou se eu sabia usar salto alto rs. 🤔 Estranhei a pergunta tão específica e direta, mas assim que o respondi, entendi onde ele queria chegar. Foi quando aproveitou a deixa para me apresentar o seu trabalho: “‘Toques Para Mulheres’ se trata de várias crônicas bem humoradas sobre esse universo feminino pela minha perspectiva. Inclusive há uma crônica que fala exatamente disto, de mulheres que andam tortas usando salto alto, por não saberem usar.” – ele disse, e até pediu que eu não ficasse brava com as histórias rs.

Dado a toda sua simpatia e a capa chamativa, resolvi comprar o seu livro que também estava por um preço interessante. O triste de tudo isso é que infelizmente demorei mais de um ano para lê-lo desde a sua aquisição. Mas se eu soubesse o quão era engraçado e gostoso de ler, já teria lido na mesma semana! 😃

Composto de 143 páginas e 21 crônicas, “Toques Para Mulheres” é mesmo hilário! Não entendo como podem haver mulheres que se sintam ofendidas com as coisas que ele aborda no livro, pois eu, que também sou mulher, tive que concordar com tudo. Vou até aproveitar para destacar algumas das crônicas aqui, que além de me arrancarem risadas em público, também considerei muito relevante o tema abordado e seus toques para cada situação. – Em negrito as partes que me fizeram rir. – 😅

“Seios Maternos São Mais Ternos Do Que Seios Femininos?”

Essa aqui é simplesmente demais! Com certeza muitas mães (as que não tiverem semancol) se ofenderam. Mas eu aplaudo o Edson pela coragem em abordar esse assunto, sem sombra de dúvida ele tem toda razão:

“Uma vez vi uma mulher amamentando um bebê no meio de um corredor lotado de um shopping center, e não longe dali, um fraldário vazio e calmo, onde ela poderia dar de mamar tranquilamente. […] E onde não tem, não custa olhar em volta e avaliar o local mais calmo para saciar a fome do seu rebento. É bom para ele também. E, escolhido o lugar mais sossegado, também acho muito legal as mães que usam o bom senso ao expor sua fonte de comida infantil. Tem mulheres que tiram o peitão pra fora, esparramam aquela câmara de pneu de caminhão pela barriga e, além de quase afogar o pobre bebê, também constrangem quem está por perto.” (Pág. 43)

Quem aí já não viu mais do que deveria ao presenciar uma mãe amamentando? De fato isso acontece bastante, pois não são todas que tem a iniciativa de tampar seu seio com um pano, como se só o fato de estar amamentando lhe desse o direito de o fazer como bem entender. 🤷🏼‍♀️

“O Aurélio E O Igualismo”

Essa crônica é uma das minhas preferidas! Outra que provavelmente também dará/deu muito o que falar! Ele conseguiu abordar os temas “Feminismo” e “Machismo” com muita sabedoria:

“Não sei quanto a vocês, mas tanto feminismo quanto machismo, para mim, soam como um sexo que acha o outro inferior, submisso. E trocar machismo por feminismo seria como trocar uma ditadura por outra. Se eu pudesse escolher uma palavra para um movimento de equiparação entre os sexos, essa palavra seria “Igualismo”. (Pág. 71)

E mais:

“No meu conceito, por exemplo:

MACHISMO seria a mulher ter de usar saia porque é coisa de mulher;

FEMINISMO seria a mulher ter de usar calça porque homens usam;

IGUALISMO seria a mulher usar calça ou saia quando bem quisesse.” (Pág. 73)

Assim como o Edson, também não vejo relevância nessa grande guerra entre o machismo e o feminismo, e gostei bastante da teoria que ele criou, realmente seria o equilíbrio ideal para a sociedade.

“Nem Tudo Entre Quatro Paredes Vale”

Essa sua teoria me pegou de surpresa, pois eu sempre pensei que sim, contanto claro que tudo fosse conversado antes. No caso dele, deu o azar de pegar uma mulher que já colocou pra fora todas as suas fantasias na primeira noite de sexo: 😂

– O que sou sua? – E me deu um tapa no rosto. – Fala, o que sou sua?

Fiquei com medo de dar a resposta errada e ela enfiar o dedo no meu olho. E veio outro tapa.

– Eu… hã… você…

– Fala, desgraçado!

Pela violência, achei que ela queria ouvir umas sacanagens. Então…

– Você é minha… (o que dizer?) gostosa!

– Mais!

Aquela palavra sacana não foi sacana o suficiente. Outro tapa. Ela podia ter tirado o anel, mas nem isso.

– Você é minha… tesuda!

– Eu sou sua puta, seu tarado!

Tarado eu? A meiguinha ali escondia uma ninfomaníaca sadista e o tarado sou eu?” (Págs. 91 e 92)

Coitado! 😂😂😂 Ri demais com essa crônica também! Vocês precisam lê-la por completo, pois ele conta outro exemplo igualmente cômico!

Sinceramente se eu pudesse falava um pouco de cada crônica, pois de verdade, gostei de todas! Não só essas que destaquei, como também: “A Conta, Por Favor” – onde ele aborda a questão do homem ter que pagar tudo sozinho ou dividirem -; “Como Evitar Capetas Garanhões” – o título já diz tudo rs; “Vai Ser Injusta Só Porque São Injustos Com Você?” – DUVIDO que nenhuma mulher se identifique com esta!; “O Último Pingo” – nessa somos presenteadas com um pequeno dilema masculino, que também ri demais! 😅 E por último (não a última do livro, mas a última que citarei aqui rs) mas não menos importante: “Biquínis, Unhas e Extintores” – quando ele esculhamba pés femininos que sejam feios! 😂😂😂

Definitivamente o livro todo é engraçado e repleto de situações corriqueiras que não nos damos conta, mas que podem ser bem desagradáveis e mal vistas pelo sexo masculino. O livro em questão não é de autoajuda, mas possuem dicas valiosas que toda mulher precisa aprender!  Leitura aprovada e recomendadíssima!! 😋

 

Publicado em Biblioteca

Louca Por Homem

louca_por_homem-capa

Autor: Claudia Tajes

Editora: L&PM Pocket

Ano: 2013

Preparem-se para dar muitas risadas com as histórias de Graça, uma adorável mulher sem sorte no amor, ou talvez com amores demais! Hahaha. O livro de bolso é composto por várias crônicas, contando com muito humor todas as aventuras amorosas dessa moça que sempre se apaixona ou se envolve com alguém. Cada capítulo é um rapaz diferente, contando o “Antes” (do envolvimento com determinado rapaz), “Durante” (o relacionamento), e o “Depois” (do coração partido). As histórias seguem uma ordem cronológica, desde a sua infância, passando pela adolescência, até chegar na vida adulta. E para te mostrar o quanto vale a pena essa leitura, destaquei uma das melhores partes de cada pretendente! Será que consigo atiçar sua curiosidade? 😜

O Judeu Ortodoxo

“Acabei por conhecer o Varão no momento em que isso não deveria ter acontecido. Um dia, a campainha de casa tocou, e atendi a porta vestida para a limpeza, com um shortinho velho, a camiseta de algum candidato a vereador derrotado e uma escova daquelas de limpar privada na mão.” (Pág. 15)

Quem nunca passou por uma situação assim?!  😯 Não exatamente nessas circunstâncias, mas a de estarmos totalmente desarrumadas e encontrarmos o crush na pior hora? 😂

O Higiênico

“A Comida de Afonso mostrou-se um tanto aguada também. O tempero, suave demais, tinha o objetivo de desestimular as glândulas e eliminarem o suor. Me ofereci para lavar a louça apenas por educação, como era de meu costume, e ele aceitou. No final, conferiu a limpeza de cada peça, ensaboando novamente o que não julgava desengordurado o suficiente.” (Pág. 35)

Definitivamente acho que esse foi o seu pior pretendente! 😂 Homem frescurento não dá!

O Fumante

“Soube que ele fumava desde a primeira vez em que nos encontramos, no aniversário de alguém que eu não conhecia e para o qual fui levada por pessoas que nunca havia visto. Mas claro que isso só aconteceu porque eu estava em algum lugar que não lembro com amigas que não sei quem eram, e a coisa se armou tão naturalmente que terminei a noite na festa de Vânia. Ou Vanda. Ou Vivian, não poderia dizer ao certo.” (Pág. 43)

Pelo jeito o porre foi bom rsrs.

O Simples

“O mais engraçado é que Vander parecia chateado por ter ganhado uma boa comissão com o meu consumismo exagerado. E isso, convenhamos, ficava irresistível em um vendedor.” (Pág. 55)

Curioso, não?! 😯

O Poeta

“Parada ao lado do poeta, mendiguei um olhar que não veio. E pensar que os pedintes do parque conseguiram de mim moedas, vales- transporte e minha única nota de cinco reais com tanta facilidade.” (Pág. 71)

É mesmo horrível ser desprezada. 😪

O Taradão

“Luciano jamais ficou de roupa dentro da minha casa. Nu assim que passava pela porta, ele só se vestia novamente ao ir embora, não importando a duração da visita. Em um feriadão chuvoso, chegou a ficar cinco dias despido. Estranhos eram os almoços e jantares na mesa com tampo de vidro da sala, os órgãos sexuais dele disputando minha atenção com a tevê.” (pág. 76)

Como ele não sentia frio?? 😅

O Boêmio

“Desde quando alguém vai em busca de uma sobrevida como amante e acaba promovida a mulher oficial do irmão do próprio amante?” (Pág. 86)

Essa é para refletir. 🤔

O Esportista

“Carlos era a combinação genética perfeita, e sete anos mais moço, e as mulheres ficavam hipnotizadas quando o viam, e as motoristas freavam, e as velhas suspiravam, e as moças se cutucavam. E, de maneira geral, eu podia perceber o escárnio quando me viam ao lado dele.” (Pág. 99)

Diferença de idade sempre foi motivo de preconceito mesmo, infelizmente.

O Triste

“Troquei o cinema por um longo café com o rapaz do ônibus, que se apresentou como Mourão, mas que apelidei de Tristão. Nunca havia conhecido alguém mais triste.” (Pág. 105)

Tristão!! 😂😂😂😂😂

O Brasileiro

“Um filho é, obviamente, uma responsabilidade muito mais séria que qualquer outra, de qualquer ordem, que a vida possa apresentar. Acho que, se alguém por um segundo pensasse a fundo no que significa criar uma pessoa e fazer dessa pessoa alguém de quem o mundo vá se orgulhar, nenhuma criança mais nasceria no planeta.” (Pág. 111)

Ao contrário da maior parte do livro, essa não é nada engraçada, mas bastante reflexiva. E tive que concordar com a autora. ☝🏻

Acabei não citando nada da última crônica (O Místico) pois essa deixarei para você me dizer nos comentários qual é a melhor parte! 😉 E se você por acaso já tinha lido Louca Por Homem, me deixe saber qual das crônicas foi a mais engraçada na sua opinião!

TRILHA SONORA

trilha

E a música perfeita para essa história é “Ex’s and Oh’s” da Elle King!

Até a próxima resenha! 😃

Publicado em Biblioteca

O Demonologista

 capa-livro-demonologista

Título Original: The Demonologist

Autor: Andrew Pyper

Editora: Dark Side

Ano: 2015

David Ullman é um professor da Universidade de Columbia, especialista em mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã. Um ser humano totalmente cético, que apesar de estudar a Bíblia e correlatos, não acredita em Deus, muito menos no Diabo. Em suas aulas, David faz uma interpretação do livro sagrado de acordo com os dias atuais e as situações em que vivemos.

“‘Solidão’, prossigo. ‘É isso que toda essa obra significa. Não o bem contra o mal, não um esforço para justificar as atitudes de Deus para com os homens. Este é o caso mais convincente para provar – mais convincente que qualquer um da própria Bíblia – que o inferno é real. Não um fosso escaldante, não um lugar acima ou abaixo de nós, mas em nós, um lugar em nossa mente. […] É uma jornada terrível, até mesmo aterrorizante. Mas é uma jornada que todos nós temos de enfrentar, tanto hoje como naquela época'”. (Pág. 18 – Quando explica a passagem de Adão e Eva, em que ambos são banidos do Paraíso)

Por conta de todo o seu entendimento do assunto, David é procurado por uma mulher misteriosa que lhe impõe um trabalho em Veneza, sem lhe dar maiores detalhes. A única informação que possui, é que o pagamento por esse trabalho – seja lá qual for – é de uma quantia muito superior ao que está acostumado, o fazendo não descartar a proposta por completo. Ao chegar em casa, David é surpreendido por um problema familiar, fazendo com que opte pela viagem, no intuito de poder proporcionar um passeio legal para sua filha de onze anos, Tess. Durante o primeiro dia na Itália, pai e filha desfrutam do passeio, conhecendo alguns lugares turísticos sem que Ullman dê importância ao real motivo que o fez ir para lá. Porém, no dia seguinte, quando vai até o endereço que a mulher misteriosa lhe passou, descobre amargamente que nunca deveria ter feito aquela viagem! 💀

“Aos tropeços, saio do quarto e desço as escadas. Eu me recomponho, atravesso balançando a sala de espera vazia – nem sombra do médico – e chego à rua estreita. Saio correndo do número 3.627 sem olhar para trás, ainda que parte de mim queira fazê-lo, uma parte que sabe que, se eu olhar, o homem estará parado junto à janela do segundo andar, livre das correias, olhando-me com um sorriso irônico.” (Pág. 77)

Como podem ver, em poucas páginas o livro já começa a pegar fogo! Coisas tenebrosas acontecem com o professor depois dessa visita, envolvendo até mesmo sua filha. O desafio agora é descobrir o que está acontecendo em sua vida, estaria ele finalmente acreditando nas coisas que viu? Ou apenas beirando à loucura com bizarras alucinações?

Gostei muito do livro, mas confesso que perto do final comecei a ficar um pouco impaciente, já que eram muitas viagens, muitos mistérios, muitos enigmas – ou seja, muitos rodeios – e nenhuma explicação plausível para tudo aquilo. O final também me desapontou demais, já que o que serviria para concluir e fechar a história, apenas me deixou com mais um ponto de interrogação no meio disso tudo. Mas… vai ver foi justamente essa a intenção do autor, não deixar nada resolvido, para que o leitor crie diversas especulações do desfecho. Bom, eu gostei mais da história como um todo, do que como de fato ela terminou.

TRILHA SONORA

o-avanco-da-tecnologia-e-seu-impacto-no-poder-da-musica

A música ideal para essa história é “I Started a Joke”ConfidentialMX! Quer uma sonora mais misteriosa que essa? Haha.

E você, o que achou do livro? Gostou? Teve uma interpretação melhor que eu do final? Me deixe saber a sua opinião nos comentários!! 😃

Publicado em Biblioteca

Depois de Você

depois-de-voce-capa

Título Original: After You

Autor: Jojo Moyes

Editora: Intríseca

Ano: 2015

Nossa, como fazia tempo que eu não postava resenha de livro! Rsrs. Mas deixa eu explicar o porquê acabei relaxando, há um bom motivo para isso! 😁 É com muito prazer que compartilho com vocês, que iniciei na faculdade ano passado (jornalismo! 😍), e por essa razão, estava sendo muito difícil conciliar dois tipos de leitura (hobbie e  obrigatórias). Felizmente, agora sim consegui pegar o ritmo, então se preparem para as muitas resenhas que estão por vir! 🤗

Quando descobri que Jojo Moyes havia publicado a continuação de “Como Eu Era Antes De Você” , foi uma grande surpresa! Mentalmente comecei a especular como poderia dar certo, já que o ponto principal do primeiro livro era Louisa e Will, e agora não o teríamos mais. Bom, acredito que todos tiveram esse mesmo pensamento, pois a impressão que tivemos no primeiro livro, era de que os protagonistas fossem o casal, quando na verdade (Jojo nos mostra ao criar essa continuação) só há um personagem principal, sendo a nossa querida Louisa.

Confesso que demorei mais do que o necessário para concluir a leitura de “Depois de Você”, pois assim como o primeiro livro, demora um pouco para engatar, e o começo é melancólico, conduzido pela tristeza de Lou, que obviamente ainda não superou a morte de Will. Para variar, ela também sofre um acidente – o que me fez pensar, por um instante, se a escritora seria tão clichê de deixá-la nas mesmas condições que Will rs -.

Também há um grupo de ajuda, chamado: “Seguindo Em Frente”, no qual Lou participa de algumas sessões, nos mostrando que ela não era a única a sofrer com a perda de alguém. – Aliás, muito bacana da Jojo abordar esse tema, acredito que tenha servido como apoio para muitos de seus leitores, que passaram por situações semelhantes a do livro. –

Bom, as coisas começam a engrenar e ficarem mais alegres, quando surge uma pessoa muito importante relacionada a Will! – Pessoa essa responsável por nos entreter boa (ou senão toda) parte do livro. 😊 – Não farei spoiler de quem se trata exatamente, pois quero que você se surpreenda tanto quanto eu fui surpreendida, descobrindo aos poucos. 😉 Mas saibam que por meio dessa pessoa inusitada que surge em “Depois de Você”, Louisa pôde se aproximar dos Traynor, e é interessante descobrir como cada membro ficou, após a partida de Will.

Basicamente “Depois de Você” se baseia em nos mostrar a nova vida de Louisa. Não sei quanto a vocês, mas eu fiquei com muitas expectativas após aquele final bastante promissor de “Como Eu Era Antes de Você”, e no entanto, nessa continuação, Jojo nos mostra que a nossa protagonista é ainda a mesma Louisa de antes, sem muitas ambições e um tanto ingênua. Seu novo emprego não lhe agrada, não se sente em casa na sua nova moradia, além de não ter feito nenhuma nova amizade. Claro que, ela se desenvolveu bastante até o final, mas esperava que sua mudança já acontecesse desde a morte de Will.

O final deixou em aberto uma possível continuação, que estou torcendo para que ocorra! Só estou na dúvida se também irão produzir a versão cinematográfica de “Depois de Você”, uma vez que muitos detalhes presentes no segundo livro, foram recorrentes de determinados no primeiro, que por sua vez não foram retratados no filme. Acredito que esse será um grande desafio para o próximo diretor.

E você, já leu “Depois de Você”? Gostou? Qual a sua opinião sobre produzirem seu filme também? Me deixe saber nos comentários!! 😃

Publicado em Biblioteca

Como Publicar Seu Primeiro Livro?

Em continuação do post Bienal do Rio 2015 trago o restante da entrevista, com as autoras nos contando, como foi o processo de publicação de seus primeiros livros. Estão preparadas? Então vamos lá!

Processo de Criação

1- Como foi começar a escrever seu primeiro livro, você imaginava que fosse fazer tanto sucesso?

Camila: Apesar de ser uma leitora compulsiva, eu nunca imaginei que um dia seria escritora, não era algo que se passava em minha cabeça e nunca havia escrito nada com essa finalidade, mas ao passar por um problema pessoal, resolvi usar a literatura e a escrita como forma de suprir a tristeza que sentia naquele momento. Foi algo natural. Na verdade, eu encontrei na escrita uma forma de ocupar a cabeça, foi então que comecei a colocar no papel algumas ideias que tive. Meu primeiro livro, O amor não tem leis, surgiu da paixão que tenho pela faculdade de Direito, onde estou prestes a me graduar. As leis, somadas a predileção por livros eróticos foi meu ponto de partida, e dali surgiu a história de Clara e Ferraz.

Carine: Quando comecei a escrever O Penhasco, sequer sabia se iria conseguir concluí-lo, o que aconteceu depois foi simplesmente incrível!

2- Agora que está sendo bem visada e conquistando cada vez mais fãs, possui uma pressão da editora para que escreva mais livros?

Camila: Não. Eu tenho alguns projetos que pretendo colocar em ordem assim que terminar a faculdade, e apesar da editora estar ciente de todos eles, eu tenho liberdade para trabalhar conforme minha inspiração.

Carine: No momento me cobro mais pelos leitores, não quero deixa-los esperando muito tempo pela continuação.

suma das letras logoeditora cadmo logo

3- Como é a relação com a editora? Te dão total liberdade para escrever sobre o que quer ou antes da publicação alteram seus manuscritos?

Camila: Em todas as três publicações eu tive total liberdade para trabalhar. O livro foi editado, é claro, mas nada que influenciasse no enredo da história e em minhas ideias originais.

Carine: Sim. Possuo total liberdade mas o livro sempre passa por uma revisão, é de praxe.

4- Como foi a sua empreitada até receber o contato da editora e publicar seu primeiro livro?

Camila: Tudo aconteceu muito rápido. Levou um bom tempo para eu acreditar que tudo que estava acontecendo era real. Eu comecei a escrever em novembro de 2013, e em fevereiro recebi o grato e inesperado contato da Suma de Letras para publicação. Nunca pensei que um dia faria da escrita um passatempo, ou que até mesmo seria uma profissão. Com a insistência de um grupo de amigas publiquei os primeiros capítulos no Wattpad, e me surpreendi com o retorno que recebi. Há um ano as leituras não alcançavam números estratosféricos como agora. Era muito difícil manter os leitores presos à história, por isso eu simplesmente não acreditei quando os capítulos postados alcançaram mais de 100 mil leituras. Eu escrevia por paixão, por paixão aos romances, às histórias de amor e amizade, nunca imaginei que um dia seria publicado, e nem passava pela minha cabeça que esse convite surgiria da Suma de Letras, uma editora que já fazia parte da minha estante. Ao todo demorou cerca de 7 meses desde a conclusão do livro até sua chegada às livrarias.

Carine: Comecei a fantasiar com um certo Penhasco antes de dormir e estava numa fase de ler vários livros seguidos, até que decidi escrever o meu próprio, mas apenas para ver se conseguiria concluir. Acabou sendo uma grata surpresa, porque não apenas virou uma trilogia como muitas pessoas elogiaram e me estimularam a seguir em frente. Antes de decidir publicar o livro físico, postei a história no wattpad e me surpreendi com as mais de 100 mil leituras, ainda mais sendo um livro de fantasia.
Foi o carinho dos leitores que me deu a coragem que eu precisava para enviar o original as editoras. Após registra-lo na BN entrei em vários sites e vi quais eram os requisitos de cada uma para receber manuscritos. Umas levaram meses para retornar, outras estou esperando até hoje rs. E algumas pagas e não pagas me deram retorno positivo. Até que veio a Cadmo, e foi a proposta que me pareceu mais interessante.
O processo todo, desde o envio até receber o meu bebê nas mãos levou cerca de um ano.

5- Quais autores você mais gosta?

Camila: Nossa, fazer essa pergunta a um leitor compulsivo é praticamente uma tortura (risos). Sou muito eclética, leio de tudo um pouco, mas, atualmente ando lendo muitos autores nacionais: Juliana Parrini, Babi Barreto, Biia Rozante, Bianca Briones. L.M. Gomes e Manu Torres são alguns exemplos.

Carine: Érico Veríssimo, Lauren Kate, Heather Gudenkauff, Carlos Ruiz Zafon, Gabriel Garcia Marques… São tantos. rs

6- Quais livros e filmes são seus preferidos?

Camila: Romance para ambos, mas nos filmes, também gosto muito das adaptações de H.Q. Marvel são os meus preferidos.

Carine: Não consigo escolher favoritos, então vou dizer os que me marcaram: Harry Potter, Fallen, O Peso do Silêncio, Depois daquela viagem… Filmes: Gladiador, Troia, Senhor dos Anéis, Titanic

7- O que você gostaria de ser, caso não fosse escritora?

Camila: Delegada de Polícia (sou assessora de um rs).

Carine: Eu trabalharia em Hogwarts rs.

8- Pretende publicar mais quantos livros? Ainda tem muitas ideias para histórias futuras?

Camila: Tenho muitas, pelo menos umas 10 esperando um pouco do meu tempo, e se Deus permitir, quero publicar todas.

Carine: Pretendo publicar muitos ainda. Somente de ideias para novas histórias possua umas dez ou doze arquivadas só esperando para nascer.

9- Qual livro você mais gostou de escrever? E por quê?

Camila: Eu amo todos (dúvida cruel rs). Apesar de O amor não tem leis ter sido minha primeira história, eu tenho um carinho imenso por 8 segundos. Pela história se passar no interior do país, recordei muita coisa da minha infância e juventude, como os rodeios, por exemplo, os quais eu sempre frequentei. Também tive ajuda do meu pai, que me deu diversas dicas a respeito da vida no campo, já que ele passou boa parte de sua vida morando na Fazenda. Por isso, eu gosto muito dessa história, por ter mexido com minhas lembranças.

Carine: Gostei muito de escrever Olhar de Fogo porque o fiz enquanto postava os capítulos no Wattpad e diferente de O Penhasco, eu não fazia ideia do que iria acontecer. Apenas fui deixando fluir, o que foi bem interessante.

10- Para você, qual o melhor lugar para escrever? E qual momento costuma lhe ocorrer mais inspiração?

Camila: Sou um pouco desorganizada quanto a isso. Eu escrevo em qualquer lugar e a qualquer hora. Não necessito de uma preparação ou algum local específico para escrever.

Carine: Eu sempre escrevi no meu quarto, trancada com um balde de café. rs A inspiração as vezes aparece sem explicação, mas na maioria das vezes flui nos dias em que estou de bem comigo e com a vida.

 11- Possui ambição de se igualar a algum escritor que lhe serve de inspiração no momento?

Camila: Acredito que, todo profissional deseja crescer cada dia mais e se aperfeiçoar naquilo que faz. E é isso que desejo, aprender com todas as experiências que estou vivenciando e também melhorar minha escrita. Se isso me levar ao patamar de um algum escritor que admiro será consequência, e não algo que eu almejo.

Carine: São tantos autores nacionais fazendo sucesso que fica difícil escolher um só rs. No momento minha ambição é conseguir uma editora maior que me ajude a conquistar cada vez mais leitores e é claro, que gostem cada vez mais das minhas histórias.

Gostaria de agradecer a Carine Raposo e a Camila Moreira pela colaboração e disponibilidade, em responder esse questionário, lhes desejo muito sucesso meninas!!!

Carine Raposo
Carine Raposo
Camila Moreira
Camila Moreira