Publicado em Seriados

Você

Título Original: You

Direção: Sera Gamble e Greg Berlanti

Ano: 2018

Nº de Episódios: 10

Categoria: Drama, Suspense, Romance

Joe (Penn Badgley – A Mentira) tem um crush por Beck (Elizabeth Lail – Once Upon a Time) no exato momento em que ela põe os pés na livraria que ele trabalha. Aparentemente Beck também pode ter se interessado por ele ou só estava sendo simpática. Mas, isso não importa, pois para Joe um pequeno flerte já é o suficiente e passa a investigá-la desde então.

Xeretar as redes sociais de outra pessoa, hoje é dia não quer dizer muita coisa, mas o fato dele descobrir onde ela mora e espioná-la de longe, invadir seu apartamento quando ela não está e furtar itens pessoais como calcinha e blusa, entre outras coisas que ele faz já no primeiro episódio, é mesmo muito insano. Atitudes que se pararmos para analisar, foram desnecessárias, pois basta eles se reencontrarem para percebermos que, deixando as coisas rolarem naturalmente, ele já teria chances com ela.

Apesar da série abordar relacionamento abusivo e psicopatia, acabamos criando uma certa empatia pelo protagonista, pois, além de sermos conduzidos pela sua perspectiva das coisas (com exceção do episódio 4 em que é mesclado a perspectiva de Beck também), Joe não é um monstro 24 horas. Na verdade, assim como qualquer ser humano, ele tem qualidades e defeitos e suas qualidades são notáveis. Com o tempo, chega até a ser decepcionante que um homem tão dedicado e romântico como ele, possa ter esse outro lado sombrio.

É interessante estudarmos como a pessoa psicopata pensa. Pois, Joe não vê as coisas que faz com maus olhos, de acordo com a educação que teve (que vamos descobrindo no decorrer da série), qualquer ato ruim pode ser justificável se for praticado por amor. Não tem aqueles românticos incorrigíveis que dizem: “Eu mataria e morreria por você?” Geralmente isso é dito como força de expressão, uma singela metáfora de que você faria tudo por aquela pessoa. Mas Joe segue isso ao pé da letra.

Eu recomendo a série por any motivos. Primeiro que é um tema super relevante, precisamos aprender a tomar cuidado com os “príncipes” que encontramos por aí. Segundo que a trama é envolvente, temos ótimas atuações, cenas fantásticas, mesclando um pouco de tudo, desde suspense, romance, até mesmo humor.

Sem contar o elenco. Além do Penn Badgley que nos conquistou desde o seu personagem em Gossip Girl, também temos Shay Mitchell, uma das protagonistas de Pretty Little Liars como Peach, melhor amiga de Beck. Então, aproveita que o fim de semana está aí, faz aquela sessão pipoca em casa e depois vem aqui me contar o que achou da série. Que tal? 😉

TRILHA SONORA

Maravilhosa a trilha sonora! Pena que não consegui encontrar duas músicas. 😥 Uma que toca no Episódio 4, quando Beck aparece de surpresa no apê de Joe e começam a se beijar; e outra do Episódio 8, quando ambos estão ajudando na mudança de Ethan. Se alguém aí descobrir me conta nos comentários depois??

As demais que gostei, foram:

EPISÓDIO 1

Nelson Can – “Break Down Your Wall” (Quando Joe avalia que Beck tem péssimo gosto para amigas)

Rob Simonsen – “Night Drive” (Quando Joe flagra Beck se masturbando)

EPISÓDIO 2

Lighspeed Champion – “He’s The Great Imposter” (No início do episódio, quando Joe amanhece feliz)

EPISÓDIO 3

LEISURE – “Got It Bad” (Quando Beck entra no carro de Joe)

EPISÓDIO 8

POWERS – “Heavy” (Após Joe procurar e não encontrar mais informações de Beck nas redes sociais)

Ben Alessi – “Lose It” (Quando se reencontram e transam várias vezes em dias alternados)

“É um sentimento horrível. Saber que as coisas deram errado e que não tem nada que você possa fazer para mudar.” Joe Goldberg (Episódio 7)

Publicado em Seriados

Pretty Little Liars – Primeira Temporada

Direção: I. Marlene King

Ano: 2010

Nº de Episódios: 22

Categoria: Adolescente, Drama, Suspense

ATENÇÃO

HAVERÁ SPOILERS!

Ahhhh como eu tava louca pra escrever sobre essa série!! Mesmo que um pouco (só um pouco) atrasada, mesmo que já tenha terminado todas as suas sete (isso mesmo, sete!) temporadas e mesmo que tenha estreado há quase dez anos. 😬

Se você nunca assistiu Pretty Little Liars, de fato não sabe o que está perdendo. Repleta de mistérios, enigmas e muitos amores (só na primeira temporada, as protagonistas – com exceção de uma – se envolvem com mais de uma pessoa), a série te prende do começo ao fim.

A história já começa com um mistério eminente, quando cinco amigas estão num celeiro a noite fazendo uma festinha particular, adormecem e misteriosamente a líder delas, Alison DiLaurentis (Sasha Pieterse – Heroes), desaparece. O que parecia não ser nada demais, de repente se torna o grande x da questão, já que na cena seguinte temos um pulo no tempo e a garota continua desaparecida.

Um ano se passou e as quatro amigas que restaram, e antes eram inseparáveis, se afastaram, até que um evento muito estranho as unem novamente. Mensagens anônimas, ameaçadoras e enigmáticas de uma pessoa que assina como “A” são enviadas para cada uma delas, fazendo-as pensar que é a própria Alison tentando se comunicar. Porém, no final do primeiro episódio, o corpo da amiga é encontrado e as mensagens de A não cessam. Agora as meninas precisam desvendar dois mistérios: Quem matou Alison e quem é essa pessoa chamada “A” que sabe de todos os seus segredos.

Da esquerda para a direita, irei lhes apresentar as protagonistas e seus respectivos segredos, como um dossiê, que A sabe e se aproveita para ameaçá-las:

Emily Fields (Shay Mitchell – Você) é a mais sem graça de todas, na minha humilde opinião. O único segredo que possui é ser homossexual. Começa a primeira temporada namorando Ben (Steven Krueger – Satânico), depois namora com Maya St. Germain (Bianca Lawson – No Balanço do Amor) – que a propósito se parece demais com a cantora Rihanna – e por último tem um caso com Paige McCullers (Lindsey Shaw – Temps). É a atleta do grupo (natação) e passa o maior perrengue quando assume a sua opção sexual para todos.

Spencer Hastings (Troian Bellisario – Clara) é a minha segunda preferida. Inteligente, esperta e de personalidade forte, tem uma tendência a se envolver (escondido) com os namorados de sua irmã mais velha, Melissa (Torrey DeVitto – Army Wives). Era a única a bater de frente com Alison, o que lhe faz ser uma das suspeitas do desaparecimento da amiga posteriormente.

Só na primeira temporada passou o rodo e ficou com: Alex (Diego Boneta – Rebelde), Toby Cavanaugh (Keegan Allen – Batalha Incerta), Ian Thomas (Ryan Merriman – Premonição 3) e Wren (Julian Morris – Algo Maligno) – esses dois últimos, namorados de sua irmã -. Seus segredos basicamente são esses (beijar os boys da irmã) e plagiar um trabalho acadêmico de Melissa. Falando assim, ela até parece ser uma pessoa horrível, mas assistindo a série verão que não rs.

Aria Montgomery (Lucy Hale – Verdade Ou Desafio) é a minha preferida! ❤️ Talvez por eu já conhecê-la (e ser fã) desde “Uma História da Cinderela” ou por me conectar mais com a sua personagem sortuda que se envolve com o gatissímo Ezra Fitz (Ian Harding – Férias Frustradas de Verão) sem saber que ele seria seu professor. Seu segredo é manter o relacionamento dos dois em sigilo e, olha só que ironia, esconder da mãe que seu pai – que também é professor – fazia o mesmo com uma de suas alunas. Pelo menos Ezra é solteiro, não é mesmo?! 😜

Hanna Marin (Ashley Benson – Pixels) é a minha terceira queridinha. Vaidosa, avoada, engraçada, rebelde e leal, não tem como não gostar dela. De todas é a que mais possui segredos e a que mais se ferra no decorrer da temporada.

Além de ter furtado itens de uma loja – logo no primeiro episódio -, ainda precisa lidar com o fato de sua mãe se deitar com o policial Wilden (Bryce Johnson – Lar Doce Inferno) para livrar sua pele; posteriormente A rouba o dinheiro que sua mãe – que é gerente de um banco – pegou emprestado para quitar as dividas da casa, fazendo com que Hanna se sujeite a inúmeras chantagens para recuperar o dinheiro de volta;

É atropelada por “A” e quase morre (quase naquelas né, como se uma das protagonistas tivesse que se preocupar com isso rs), tendo como seu último segredo, esconder da mãe que está abrigando Caleb (Tyler Blackburn – Ravenswood) no porão de casa.

Hanna parte o coração de três rapazes nesta temporada, sendo eles: seu primeiro namorado Sean (Chuck Hittinger – Atormentada Aos 17), seu eterno admirador Lucas (Brendan Robinson – Pretty Dirty Secrets) e o próprio Caleb citado acima, responsável por tirar sua virgindade (inclusive trouxe esta cena mais abaixo).

E não poderia deixar de citar também: Mona Vanderwall (Janel Parrish – Para Todos Os Garotos Que Já Amei), amiga de Hanna que, antes de Alison desaparecer, era desprezada pelas cinco amigas. Uma personagem chatinha, fútil e não muito confiável.

*

Voltando a falar das cinco protagonistas, Alison, Aria, Hanna, Spencer e Emily, todas elas possuem um segredo em comum, segredo esse que as assombra até o final da temporada. Não farei spoiler do que é, mas saibam que tem a ver com a personagem Jenna Marshall (Tammin Sursok – Flicka 2).

SUSPEITOS DE MATAREM ALISON

No decorrer da primeira temporada, alguns personagens são apontados como suspeitos do desaparecimento e posteriormente da morte de Alison, como também são suspeitos de serem A (com exceção de Spencer). Sendo eles:

  • Toby Cavanaugh
  • Jenna Marshall
  • Noel Kahn
  • Ian Thomas
  • Lucas
  • Spencer Hastings

Façam suas apostas!

Mas é claro que isso não será revelado na primeira temporada. Contudo, são pecinhas deste infinito quebra-cabeça que vamos juntando para, quem sabe um dia, desvendarmos este mistério. A primeira temporada é composta por 22 episódios e encerra com uma morte, fazendo com que nossas cabeças fique ainda mais confusa e desconfiada de quem seria esse maldito(a) A.

MELHORES CENAS

Não preciso nem dizer que a primeira temporada é incrível e repleta de cenas muito boas, bem produzidas, engraçadas e etc. Porém, como só falar não é o suficiente, trouxe aqui três cenas de casais que mais me conquistaram! Será que alguma delas irá te conquistar também?? 😏

No Episódio 7 – “A Ressaca”  temos uma cena muito fofa com Spencer e Alex. Homem que sabe dançar a dois não é mesmo um charme? 😍 Eles dançam ao som de “Siempre Tu”, canção de autoria do próprio ator (que também é cantor) que interpreta Alex (Diego Boneta):

No Episódio 15 – “Se não conseguir de primeira, continue mentindo” temos uma (entre muitas outras cenas fofas) de Aria e Ezra. Ao som de Katie Herzig, “Hey Na Na” deixou a cena ainda mais engraçadinha. Confesso que deste casal foi muito difícil escolher uma cena só, pois são o meu casal preferido. Chipo eternamente!! 🤗

E no Episódio 19 – “Pessoa de Interesse” temos a primeira vez de Hanna, ao som de “Glitter in The Air” da Pink. Um marco na vida de uma mulher, não poderia deixar passar batido:

TRILHA SONORA

A trilha sonora de PLL é riquissíma! Abaixo as que mais gostei:

EPISÓDIO 1

The Pierces – Secret (Música de abertura)

3OH!3 – Don’t Trust Me (Música da primeira cena, quando elas estão no celeiro)

Colbie Caillat – I Won’t (Após a passagem de tempo)

Mozella – More Of You (Quando Aria e Ezra estão se pegando pela primeira vez)

Twirl – It Girl (Quando Hanna está no shopping provando óculos de sol)

Measure – Begin Again (Música do velório da Alison)

EPISÓDIO 2

Katie Herzig – Jack And Jill (Troca de olhares entre Aria e Ezra, após a transferência dela ser negada)

EPISÓDIO 6

St. Lola In The Fields – Hold Me (Logo quando o episódio começa e Aria está deitada na cama deprimida)

2AM Club – Make You mine (Durante o baile)

2AM Club – Let Me Down Easy (quando Aria dança com Sean no baile)

EPISÓDIO 7

Diego Boneta – Siempre Tu (Na cena em que Alex e Spencer dançam na cozinha do clube)

EPISÓDIO 8

Carolina Liar – I Got Over (Quando Hanna está mostrando para Lucas as bolsas que quer vender)

EPISÓDIO 10

Allie Moss – Dig With Me (Quando Melissa e Spencer conversam, após Melissa ter saído com Ian por incentivo da irmã)

EPISÓDIO 12

K.C. – The Money Song (Quando A está colocando as notas de dinheiro – que roubou da Hanna – dentro de um cofre de palhaço)

EPISÓDIO 14

The Rescues – We’re Ok (Música que a Aria escreve na lista de músicas para tocar no festival – mas não chega a passar no seriado -)

EPISÓDIO 15

Katie Harzig – Hey Na Na (Quando Aria vai convidar Ezra para o Museu)

EPISÓDIO 18

Mcfly – Party Girl (Flashback de uma festa do passado em que as meninas foram com um RG falso)

EPISÓDIO 19

Pink – So What (Música que Paige e Emily cantam no Karaokê)

Pink – Glitter In The Air (Quando Paige e Emily se beijam saindo do Karaokê)

EPISÓDIO 20

Madi Diaz – Ok To be Alone (Quando Aria envia uma mensagem para sua própria mãe por engano)

EPISÓDIO 22

Florence And The Machine – I’m Not Calling You a Liar (Música final desse último episódio)

“Pensamos saber quem somos, mas não sabemos. Não até algo de ruim nos acontecer. E aí, todas as coisas fúteis caem por terra e sobra apenas o que realmente somos.” Jenna Marshall (Episódio 8)

Publicado em Seriados

Elite

Título Original: Élite

Criadores: Darío Madrona e Carlos Montero

Ano: 2018

Nº de Episódios: 8

Categoria: Adolescente, Drama

Quem aí já ouviu falar nessa nova séria da Netflix que estreou dia 05 de Outubro?! Confesso que comecei a assistir um pouco desacreditada, pois parecia só mais uma série adolescente bobinha, mas me surpreendi, viu?! Na verdade, é até adulta demais, abordando temas muito modernos e consideravelmente explícitos! Fiquei de queixo caído em muitas cenas!!

A série é espanhola e aborda homossexualidade (tem até beijos e cenas de sexo entre dois homens), tráfico de drogas, nudez em cenas de sexo hétero (as atrizes pagam peitinho), fala sobre certa doença sexualmente transmissível (não farei spoiler) e o que mais me surpreendeu: cenas de sexo a três!! Isso mesmo, um belo ménage à trois!! Mas o mais impactante não é nem essa questão, e sim o fato do namorado ter fetiche em ver a namorada com outro homem! Fala se essa série não é modernona?! #Adorei

Bora Conhecer Os Personagens??

Da esquerda para a direita: Samuel, Christian e Nadia.

Samuel (Itzan Escamilla – As Telefonistas), Nadia (Mina El Hammani) e Christian (Miguel Herrán – La Casa de Papel) ganham bolsa para estudar em um colégio mega conceituado da Espanha, Las Encinas, após a escola em que eles estudavam, do ensino público, desabar. Mas o choque social é muito grande, pois vão estudar em um colégio de elite, em que todos são podres de ricos, menos eles.

Christian é o mais animado e desinibido dos três, não se deixando intimidar pela hostilidade dos riquinhos. Samuel é o personagem mais bonzinho de todos e o mais sem graça também, tão mongo que chega irritar. 🙄 E Nadia é uma garota extremamente certinha e recatada, de origem árabe.

Samuel e Marina

Samuel tem um crush por Marina (Maria Pedraza – La Casa de Papel) e acaba rolando aí um triângulo amoroso, pois a ruivinha também se envolve com Nano (Jaime Lorente – La Casa de Papel), o irmão, pedaço de mal caminho (literalmente), de Samuel. Aliás, há quem diga que prefere ela com o todo errado do Nano, do que com o sem sal do Samuel rs. (A propósito, os atores que interpretam Marina e Nano estão juntos na vida real!!)

Marina e Nano

Falando em Marina, ela é irmã de Guzman (Miguel Bernardeau) um riquinho muito do arrogante, mas que se regenera no decorrer da série. Ele tem um lance amoroso com Lu (Danna Paola – Amy, A Menina da Mochila Azul) e juntos planejam ferrar com Nadia. Falando em Nadia, essa é irmã de Omar (Omar Ayuso), um árabe todo diferentão que trafica drogas e é gay. Omar se envolve com Ander (Arón Piper – 15 Anos e Um Dia), filho da diretora do colégio.

Agora vamos falar de um casal muito louco??

Carla (Ester Expósito) e Polo (Álvaro Rico – Velvet Colección)

Os dois curtem sexo a três, Polo tem prazer em vê-la com outro, além de ter uma tendência a bissexualidade. De todos os personagens, eles foram os que mais me surpreenderam, já que não é todo dia que uma série retrata esse tipo de casal liberal (ainda mais se tratando de jovens no ensino médio).

A série me remeteu a novela Rebelde (por conta do uniforme e dos personagens colegiais) e também ao seriado 13 Reasons Why (por conta do mistério em torno da morte da protagonista), mas, engana-se quem pensa que são entretenimentos similares. Elite é muito mais adulto que Rebelde e aborda assuntos muito mais diversificados que bullying.

Gostei das atuações (apesar de muitos não terem tido trabalhos anteriores), da fotografia, da forma como casaram a trilha sonora em cada cena e do enredo como um todo. A série consegue te prender até o último capítulo!

E para te deixar com água na boca e uma pontinha de curiosidade sobre tudo que contei, trouxe abaixo algumas cenas que mais gostei e que mais me marcaram no decorrer da trama. Ahh, só não trouxe nenhuma cena do último episódio para não fazer mais spoilers rs.

EPISÓDIO 1

Lembram quando eu citei lá no início do post que Christian é o cara? Pois então, a cena abaixo retrata bem o que quero dizer rsrs.

Ainda no episódio 1, fiquei imensamente encantada com essa cena em que Samuel chega na escola e vê Marina. Uma cena bem romântica, com uma música fofinha de fundo, mesclada com um pouco de mistério.

EPISÓDIO 2

Vamos a uma das muitas cenas calientes entre Christian, Carla e Polo. Essa é a mais leve para aquecer.

EPISÓDIO 3

Conheçam o casal gay contracenado por Omar e Ander. Quem chipa?

Agora vamos ver duas cenas na sequência em que Nadia, a nossa querida boa moça, se droga, sem saber, tomando um ponche batizado na festa de Samuel. Achei bem engraçado vê-la ‘alegrinha’ rsrs.

Ainda no episódio 3, finalizamos com uma cena entre o casal bandido: Marina e Nano. Eu chipo!!

EPISÓDIO 4

Essa cena eu achei simplesmente F-A-N-T-Á-S-T-I-C-A, em que Christian, Carla e Polo dão um show de atitude!

EPISÓDIO 6

(sim, pulei o 5 que não teve nada marcante)

EPISÓDIO 7

ATENÇÃO, TEM SPOILER!

Esse episódio teve duas cenas muito fortes (também, se aproximando da reta final, né?), não queria ter um pai igual o da Nadia.

E para finalizar, pancadaria!!!

O oitavo episódio é ainda mais revelador, mas prefiro que descubram assistindo por completo. Depois vem aqui comentar o que achou da série, combinado?! 🙂

TRILHA SONORA

No Spotify tem a trilha sonora completa da série, só você procurar pelo nome Elite. Porém, trago aqui duas músicas (pois é, apenas duas) que super gostei e até salvei:

Christina y Los Subterraneos – Tú Por Mi (Quando Samuel chega na escola e vê Marina no 1º episódio)

Night Panda Twisted Games 

Publicado em Seriados

13 Reasons Why

Criador: Brian Yorkey

Ano: 2017

Nº de Episódios: 13

Categoria: Adolescente

Hannah Baker (Katherine Langford) é uma adolescente do ensino médio que misteriosamente se suicidou. Porém, antes de tirar sua própria vida, ela gravou 7 fitas (distribuídos entre lado A e lado B) contando o porquê da sua decisão, e cuidou para que as pessoas envolvidas, as recebessem após a sua morte!

O seriado começa na vez de Clay (Dylan Minnette – O Homem Nas Trevas) ouvi-las, e mesmo sabendo tão pouco sobre esse personagem, também ficamos espantados dele ser um dos porquês! 😯 O garoto fica perturbado, e diferente de todos os outros que ouviram as fitas antes dele, honrosamente toma atitudes em prol de amenizar o sofrimento daqueles que foram afetados, como também tenta punir aqueles culpados que, se não fossem pelas fitas, ficariam no anonimato.

Quando comecei a assistir a série, achei que todos os envolvidos tivessem feito algo muuuito grave, mas não foi bem assim. Alguns cometeram delitos mais leves, mas que somados a tudo que Hannah já estava vivendo, pesou para a sua decisão.

O primeiro culpado a descobrirmos é Justin Foley (Brandon Flynn – BrainDead). Confesso que a princípio não achei que o que ele fez fosse digno do suicídio de alguém, mas a minha visão sobre ele mudou bastante depois, pois lá na frente descobrimos outra coisa muito pior que ele foi cúmplice e aí sim entendo melhor a Hannah.

Jessica Davis (Alisha Boe – Atividade Paranormal 4) ao meu ver não é exatamente uma culpada, e sim outra vítima assim como Hannah, só que sem saber rs.

Como demorei para entender qual a relação do Alex (Miles Heizer – Nerve: Um Jogo Sem Regras) com uma certa “lista” rs. Sim, esse teve bastante culpa no cartório, mas sua auto punição foi drástica demais!

Por mais que o que Tyler (Devin Druid – Mais Forte Que Bombas) fez não seja correto, ele não tinha intenções de prejudica-la ou humilha-la. O coitado é tão bobão que nem os outros envolvidos o levam a sério rs.

Já essa aqui é uma grande cretina e sem caráter! Não se enganem com esse rostinho inocente da Courtney (Michele Selene)!

Zach Dempsey (Ross Butler – Riverdale) é o meu gato preferido da série! 😍 Toda vez que o via em cena suspiraaaava… 😬 Na minha avaliação o que ele fez não foi tão grave assim, na verdade seu mal comportamento com a Hannah se deu por conta dela mesma, que o atacou antes que ele fizesse algo – não que ele pudesse ter agido diferente se ela tivesse dado corda -. Daí só fez valer todo o mal tratamento que recebeu da garota.

Esse sim foi um grande cafajeste! Me enganei com ele no episódio 4. 😠 Marcus (Steven Silver – The Problem with Mr. Withers) é um cretino!!

Ryan (Tommy Dorfman – In My Skin) errou feio, mas com a melhor das intenções! Não o vejo como vilão, pois ele só esperava que os outros vissem na Hannah, a mesma pessoa talentosa que ele conseguiu ver.

Sheri (Ajiona Alexus – The Rickey Smiley Show) é uma pobre coitada que num momento de covardia causou uma tragédia horrível. Mas também não a vejo como vilã, já que não foi intencional.

Esse sim é o Diabo! Acima de todos os outros, Bryce (Justin Prentice – Glee) é o grande culpado pelo que aconteceu com a Hannah! Só é curioso que justamente ele não tenha recebido as fitas. 😤

Acho bastante injusto o Clay ser um dos porquês. Aliás, fiquei bastante irritada com a protagonista por faze-lo se sentir culpado, apenas porque foi gentil o suficiente em atender um pedido dela.

Há também um integrante do corpo docente da escola envolvido, mas não direi quem é pois senão perde a graça rs. Só lhes digo que também me desapontei com tal personagem. ☝🏻

A história intercala presente com o passado, e podemos reparar a troca de tempo de acordo com a tonalidade da cena (passado: cores quentes / presente: cores frias), ou também podemos nos guiar pelo machucado na testa de Clay, que não cicatriza nunca! 😅 O tema principal do seriado não é suicídio, como muitos pensam, e sim bullying! Algo que sempre existiu nas escolas, mas que no mundo atual está ainda mais intenso, por conta dos aparelhos celulares que filmam e repercutam o acontecimento.

O primeiro episódio é espetacular, e me deixou bastante curiosa para assistir os demais, porém, o segundo e terceiro já foram mais parados, me desanimando da série. Se isso também acontecer com você, não desista e continue assistindo, pois aos poucos vai ficando ainda melhor! Não dei muito crédito para a Hannah a princípio, pois as coisas que ela passou, apesar de desagradáveis, não foram tão monstruosas assim, para que ela se suicidasse. Mas tudo começou a fazer mais sentido a partir do capítulo 9! Os últimos episódios foram ainda mais pesados, com cenas fortes sendo previamente avisadas no início de cada um deles. 👀

Apesar de as coisas terem feito ainda mais sentido, isso não quer dizer que concordo com a decisão da protagonista em se matar. Ela poderia ter recorrido as autoridades, feito algum barulho e não se calado para sempre. Também discordei dela em várias situações, principalmente nas que envolviam Clay.

Enfim, não esperem final feliz, na verdade, detestei o desfecho! O último episódio foi tão parado que nem parecia ser a conclusão. Alguns personagens ficamos sem saber como acabaram, deixando muito a desejar! Há boatos que haverá segunda temporada, mas confesso que não vejo como a história pode continuar do jeito que acabou. Sabe aquele final sem sal? Foi exatamente assim que acabou a série.

Baseado no livro homônimo de Jay Asher, sua produção contou com nada mais, nada menos que Selena Gomez! 😃

Se eu recomendo a série? Apesar de ter esperado bem mais do final, sim, recomendo, pois aborda um tema muito relevante. E apesar de ser adolescente, pode (e deve) ser assistido por adultos também – principalmente pais de adolescentes -. Confiram o trailer: 👇🏻

TRILHA SONORA

As únicas músicas que gostei MESMO ao ponto de baixar, foram:

Lord Huron – The Night We Met (Música do início do trailer e do capítulo do baile em que Hannah e Clay dançam juntos)

Hamilton Leithauser + Rostam A 1000 Times (Quando Hannah imagina como seria a sua vida, se namorasse o Clay)

*

Você já assistiu? Concorda ou discorda de mim? Participe dando a sua opinião nos comentários! 🙂

Publicado em Seriados

3%

Criador: Pedro Aguilera

Direção: César Charlone

Ano: 2016

Nº de Episódios: 8

Categoria: Drama

O mundo chegou num ponto em que temos a extrema pobreza (o lado de cá) e a total riqueza (o lado de lá). Ao completar 20 anos, todos do lado de cá, passam por um processo seletivo para terem a chance de ir para o lado de lá. A seleção é composta por várias fases, similar à uma entrevista de emprego, só que ainda mais difícil, e somente 3% de todos esses candidatos que serão aprovados!

Temos seis personagens protagonistas na série. Sendo eles:

Ezequiel (João Miguel – Felizes Para Sempre?), o rígido chefe de seleção, misterioso e cheio de segredos;

Michele (Bianca Comparato – Avenida Brasil), a moça rebelde em busca de vingança, que cresceu ouvindo que seu irmão foi assassinado na seleção, quando também participou do processo;

Joana (Vaneza Oliveira), de índole duvidosa, nem tinha como participar do processo, mas se meteu numa grande encrenca, e o usará para fugir daqueles que estão à sua procura, querendo lhe matar;

Rafael (Rodolfo Valente – Essas Mulheres), aquele típico espertalhão sem escrúpulos, disposto a fazer de tudo (até mesmo trapacear) para conseguir passar;

Fernando (Michel Gomes – Cidade dos Homens), o único paraplégico no processo, que sofre diversos ataques dos demais candidatos, por lhe acharem incapaz de passar para o lado de lá, já que as provas envolvem tanto o esforço físico quanto mental.

E por fim, mas não menos importante, temos o Marco (Rafael Lozano – Do Lado De Fora), o autoconfiante e de “bom” caráter. Famoso por toda a geração da sua família ter obtido sucesso nas provas.

Os candidatos são testados desde a primeira entrevista até a fase final, quando já foram aprovados, mas ainda resta decidirem se aceitarão ou não, uma regra peculiar sobre reprodução. A cada episódio vamos descobrindo a vida íntima de cada personagem – antes de chegarem ao processo – e nos surpreendemos com o passado daqueles que aprendemos a gostar. O mais bonzinho pode se revelar o mais macabro, assim como o mais suspeito à possível vítima. As provas por sua vez são bastante criativas, desafiadoras e principalmente  PERTUBADORAS, já que os candidatos estão sim sujeitos a mortes acidentais.

Destaco aqui o episódio 4, como o mais macabro de todos! E acredito que assim como eu, você também irá se decepcionar com determinado personagem. Muita coisa acontece na história e é necessário que você preste muita atenção, para que alguns detalhes não passem despercebidos! A trama é bem envolvente e tem aquele “Q” de suspense que todo mundo gosta!

Composto por 8 episódios, o seriado é original da Netflix e é brasileiro! A princípio não dei muito crédito por conta disso, mas eis aqui a prova que temos que valorizar as produções nacionais também, pois estão ficando cada vez melhores e ganhando mais espaço. Muitas tecnologias inexistentes no mundo real são reproduzidas na tela, tornando a história ainda mais interessante!

Sobre o final… bom, preciso compartilhar que me desapontei com a Joana (mas há quem diga que ela será um ponto chave na próxima temporada) e fiquei muito brava com o Fernando rs. Michele e Rafael arrasaram! Aliás, uma curiosidade bem legal, é que a cena final foi gravada no Parque da Juventude! (Reconheci aquele cenário rs).

Se você ainda está em dúvida se assiste ou não, vem dar uma espiada no trailer oficial!:

Já estou ansiosíssima pela segunda temporada!! E você? Já assistiu?? Me deixe saber nos comentários!! 😀