Publicado em Biblioteca

Como Eu Era Antes de Você

Capa_Como-eu-era-antes-de-voce

Título Original: Me Before You

Autor: Jojo Moyes

Editora: Intríseca

Ano: 2012 / 2013

A história começa no ano de 2007. Will Trainor é um homem de 35 anos, bem sucedido, atraente, viajado e principalmente independente. A noite passada tinha sido ótima com sua namorada em seu apartamento. Estava saindo para trabalhar naquela chuvosa manhã. O porteiro do seu prédio se ofereceu para chamar-lhe um táxi, mas justo naquele dia ele quis procurar um por conta própria. Enquanto andava pela rua seu celular toca. Focado nos assuntos profissionais pelo qual tratava ao telefone, Will se dirige até o táxi mais próximo, mal conseguindo entender o que era falado do outro lado da linha, devido a chuva e ao barulho produzido pelo movimento dos carros. Enquanto se aproximava cada vez mais do carro, ouviu o som estridente de uma buzina e pelo canto do olho pode ver algo se aproximando dele com muita velocidade…

Ele se vira e, nesse milésimo de segundo, percebe que a coisa vem em sua direção, que não há como sair da frente. Surpreso, abre a mão e o BlackBerry cai no chão. Ouve um grito que talvez seja o seu. A última coisa que vê é uma luva de couro, um rosto dentro de um capacete, o choque nos olhos do homem refletindo o dele próprio. Há uma explosão quando tudo se parte em pedaços. E então não há nada. (Pág. 10)

 Agora estamos em 2009 e a história centra em outra personagem. Louisa Clark é uma jovem de 26 anos, possui uma vida muito simples, sem nenhum luxo, trabalha como garçonete onde todo seu salário é voltado para o sustento de sua família, cujos membros são: mãe, pai, avô (que já sofreu derrames e precisa de cuidados especiais) e uma irmã mais velha que já é mãe.

Ela estava voltando para casa contando os passos cabisbaixa pois havia sido demitida. Após 6 anos trabalhando naquele café, não sabia o que faria dali para frente pois sua família dependia do seu salário. Sua irmã Treena, mal recebia um salário na floricultura em que trabalhava. Sua mãe não podia trabalhar pois cuidava de seu avô, e seu pai vivia em constante tensão na fábrica de móveis em que trabalhava, devido a rumores de um possível corte de funcionários.

Eu me sentei enquanto meus pais discutiam que trabalhos eu poderia conseguir com minhas poucas qualificações. Operadora de fábrica, especialista em ferramentas mecânicas, passadora de manteiga. Pela primeira vez naquela tarde, tive vontade de chorar. (Pág 16)

Louise possuía um namorado. Patrick é fissurado em ginástica e afins. Tudo em prol de ter um ótimo porte físico e boa saúde. A relação deles, retratada no livro não é das mais românticas, está mais para um namoro que caiu na rotina e compartilham companheirismo.

É difícil para a moça encontrar um emprego. Ela passa praticamente o dia inteiro na agência de empregos, participando de vários tipos de entrevistas, mas parece que nada se encaixa no seu perfil. Está em uma sala com o funcionário da agência e seu computador. Nada, absolutamente nada, parece servir para Louisa trabalhar. Essa parte do livro chega a ser engraçada pois ele até sugere empregos alternativos como “dançarina de pole dance” e “supervisora de conversas adultas telefônicas”. Até que…

– Acabou de aparecer. Neste minuto. Uma oferta de emprego como cuidadora assistente. Não é com idosos. É uma… vaga confidencial. Para ajudar na casa de alguém, e o endereço fica a menos de três quilômetros de onde você mora. Não é necessário limpar traseiros, pelo que entendi. Ele é… tetraplégico. (Pág. 21)

E assim a vida de Will e Louisa se cruzam. A entrevista com a mãe de Will, Camilla Traynor é muito tensa. Louisa tenta descontrair com alguns comentários irônicos, mas fica no vácuo perante a seriedade de Camilla. É difícil entender porquê Louisa consegue o emprego tendo cometido várias gafes na entrevista e até mesmo por ser inexperiente na função. Nada é por acaso e futuramente quando ela descobre o real motivo da sua contratação, se revolta. E até mesmo o leitor se espanta com a realidade dos fatos.

Eu não tenho palavras para descrever o quão maravilhoso esse livro é. Confesso até que após lê-lo passei a ver os cadeirantes com outros olhos. Ganhei esse livro de presente de aniversário e não poderia ter ganhado um presente melhor, é uma lição de vida. Quando estava nas últimas páginas eu só chorava, não tem como ficar impassível com o final dessa história, fiquei aos prantos pois me imaginei no lugar de Louisa, mas ao mesmo tempo me imaginava na situação de Will. Simplesmente fenomenal. História emocionante e muito comovente.

TRILHA SONORA

música

E a trilha sonora perfeita para essa história, que ouvi muito enquanto lia e chorava ao mesmo tempo, são:

Scars On 45 – Change My Needs

The Civil Wars – Poison & Wine

Amy Stroup – This Could Kill me