Publicado em Cinema

O Poderoso Chefinho

Título Original: The Boss Baby

Direção: Tom McGrath

Produtora: DreamWorks Animation

Ano: 2017

Categoria: Animação / Comédia

Francis é um garotinho de 7 anos com uma imaginação incrível. É filho único e seus pais são super carinhosos e atenciosos. Sua vida é perfeita. Porém, certo dia um novo bebê chega na família e ele deixa de ser o centro das atenções. Desconfiado desse novo membro peculiar, ele o confronta e descobre que o bebê, na verdade não é só um bebê! 😯

Fui ao cinema na intenção de assistir algo que me fizesse rir, e me deparei com esse desenho. Rapidamente dei uma olhada no trailer e não tive dúvidas de que valeria a pena! Felizmente o trailer não contém spoilers e mostra somente 10% de toda a história! Ou seja, vai muito além do que imaginamos! Se preparem para muitas surpresas e descobertas durante a animação! Pois além de Francis descobrir que o bebê fala, outras coisas são reveladas e tudo fica ainda mais interessante!! 😬

Nas primeiras cenas, por conta da imaginação fértil do garotinho, achei que apenas estivesse sendo retratado como funciona a mente de uma criança, quando outra é introduzida na família – já que a animação é contada pela perspectiva dele -. Mas, o desenho superou todas as minhas expectativas, indo muito além disso. E uma boa produção é justamente assim: faz você deduzir uma coisa, e durante o desenrolar te surpreende com outra! 😌

Se preparem para rir muito com esse “bebê” – principalmente quando ele joga suas notas de dinheiro para as pessoas – (reparem!) 😂 Corram para o cinema, independente de estarem acompanhando uma criança, pois essa animação diverte todas as idades! Com certeza assistirei de novo, e quando sair em DVD farei questão de tê-lo na minha coleção!! 🤗

Publicado em Seriados

13 Reasons Why

Criador: Brian Yorkey

Ano: 2017

Nº de Episódios: 13

Categoria: Adolescente

Hannah Baker (Katherine Langford) é uma adolescente do ensino médio que misteriosamente se suicidou. Porém, antes de tirar sua própria vida, ela gravou 7 fitas (distribuídos entre lado A e lado B) contando o porquê da sua decisão, e cuidou para que as pessoas envolvidas, as recebessem após a sua morte!

O seriado começa na vez de Clay (Dylan Minnette – O Homem Nas Trevas) ouvi-las, e mesmo sabendo tão pouco sobre esse personagem, também ficamos espantados dele ser um dos porquês! 😯 O garoto fica perturbado, e diferente de todos os outros que ouviram as fitas antes dele, honrosamente toma atitudes em prol de amenizar o sofrimento daqueles que foram afetados, como também tenta punir aqueles culpados que, se não fossem pelas fitas, ficariam no anonimato.

Quando comecei a assistir a série, achei que todos os envolvidos tivessem feito algo muuuito grave, mas não foi bem assim. Alguns cometeram delitos mais leves, mas que somados a tudo que Hannah já estava vivendo, pesou para a sua decisão.

O primeiro culpado a descobrirmos é Justin Foley (Brandon Flynn – BrainDead). Confesso que a princípio não achei que o que ele fez fosse digno do suicídio de alguém, mas a minha visão sobre ele mudou bastante depois, pois lá na frente descobrimos outra coisa muito pior que ele foi cúmplice e aí sim entendo melhor a Hannah.

Jessica Davis (Alisha Boe – Atividade Paranormal 4) ao meu ver não é exatamente uma culpada, e sim outra vítima assim como Hannah, só que sem saber rs.

Como demorei para entender qual a relação do Alex (Miles Heizer – Nerve: Um Jogo Sem Regras) com uma certa “lista” rs. Sim, esse teve bastante culpa no cartório, mas sua auto punição foi drástica demais!

Por mais que o que Tyler (Devin Druid – Mais Forte Que Bombas) fez não seja correto, ele não tinha intenções de prejudica-la ou humilha-la. O coitado é tão bobão que nem os outros envolvidos o levam a sério rs.

Já essa aqui é uma grande cretina e sem caráter! Não se enganem com esse rostinho inocente da Courtney (Michele Selene)!

Zach Dempsey (Ross Butler – Riverdale) é o meu gato preferido da série! 😍 Toda vez que o via em cena suspiraaaava… 😬 Na minha avaliação o que ele fez não foi tão grave assim, na verdade seu mal comportamento com a Hannah se deu por conta dela mesma, que o atacou antes que ele fizesse algo – não que ele pudesse ter agido diferente se ela tivesse dado corda -. Daí só fez valer todo o mal tratamento que recebeu da garota.

Esse sim foi um grande cafajeste! Me enganei com ele no episódio 4. 😠 Marcus (Steven Silver – The Problem with Mr. Withers) é um cretino!!

Ryan (Tommy Dorfman – In My Skin) errou feio, mas com a melhor das intenções! Não o vejo como vilão, pois ele só esperava que os outros vissem na Hannah, a mesma pessoa talentosa que ele conseguiu ver.

Sheri (Ajiona Alexus – The Rickey Smiley Show) é uma pobre coitada que num momento de covardia causou uma tragédia horrível. Mas também não a vejo como vilã, já que não foi intencional.

Esse sim é o Diabo! Acima de todos os outros, Bryce (Justin Prentice – Glee) é o grande culpado pelo que aconteceu com a Hannah! Só é curioso que justamente ele não tenha recebido as fitas. 😤

Acho bastante injusto o Clay ser um dos porquês. Aliás, fiquei bastante irritada com a protagonista por faze-lo se sentir culpado, apenas porque foi gentil o suficiente em atender um pedido dela.

Há também um integrante do corpo docente da escola envolvido, mas não direi quem é pois senão perde a graça rs. Só lhes digo que também me desapontei com tal personagem. ☝🏻

A história intercala presente com o passado, e podemos reparar a troca de tempo de acordo com a tonalidade da cena (passado: cores quentes / presente: cores frias), ou também podemos nos guiar pelo machucado na testa de Clay, que não cicatriza nunca! 😅 O tema principal do seriado não é suicídio, como muitos pensam, e sim bullying! Algo que sempre existiu nas escolas, mas que no mundo atual está ainda mais intenso, por conta dos aparelhos celulares que filmam e repercutam o acontecimento.

O primeiro episódio é espetacular, e me deixou bastante curiosa para assistir os demais, porém, o segundo e terceiro já foram mais parados, me desanimando da série. Se isso também acontecer com você, não desista e continue assistindo, pois aos poucos vai ficando ainda melhor! Não dei muito crédito para a Hannah a princípio, pois as coisas que ela passou, apesar de desagradáveis, não foram tão monstruosas assim, para que ela se suicidasse. Mas tudo começou a fazer mais sentido a partir do capítulo 9! Os últimos episódios foram ainda mais pesados, com cenas fortes sendo previamente avisadas no início de cada um deles. 👀

Apesar de as coisas terem feito ainda mais sentido, isso não quer dizer que concordo com a decisão da protagonista em se matar. Ela poderia ter recorrido as autoridades, feito algum barulho e não se calado para sempre. Também discordei dela em várias situações, principalmente nas que envolviam Clay.

Enfim, não esperem final feliz, na verdade, detestei o desfecho! O último episódio foi tão parado que nem parecia ser a conclusão. Alguns personagens ficamos sem saber como acabaram, deixando muito a desejar! Há boatos que haverá segunda temporada, mas confesso que não vejo como a história pode continuar do jeito que acabou. Sabe aquele final sem sal? Foi exatamente assim que acabou a série.

Baseado no livro homônimo de Jay Asher, sua produção contou com nada mais, nada menos que Selena Gomez! 😃

Se eu recomendo a série? Apesar de ter esperado bem mais do final, sim, recomendo, pois aborda um tema muito relevante. E apesar de ser adolescente, pode (e deve) ser assistido por adultos também – principalmente pais de adolescentes -. Confiram o trailer: 👇🏻

TRILHA SONORA

As únicas músicas que gostei MESMO ao ponto de baixar, foram:

Lord Huron – The Night We Met (Música do início do trailer e do capítulo do baile em que Hannah e Clay dançam juntos)

Hamilton Leithauser + Rostam A 1000 Times (Quando Hannah imagina como seria a sua vida, se namorasse o Clay)

*

Você já assistiu? Concorda ou discorda de mim? Participe dando a sua opinião nos comentários! 🙂

Publicado em Seriados

3%

Criador: Pedro Aguilera

Direção: César Charlone

Ano: 2016

Nº de Episódios: 8

Categoria: Drama

O mundo chegou num ponto em que temos a extrema pobreza (o lado de cá) e a total riqueza (o lado de lá). Ao completar 20 anos, todos do lado de cá, passam por um processo seletivo para terem a chance de ir para o lado de lá. A seleção é composta por várias fases, similar à uma entrevista de emprego, só que ainda mais difícil, e somente 3% de todos esses candidatos que serão aprovados!

Temos seis personagens protagonistas na série. Sendo eles:

Ezequiel (João Miguel – Felizes Para Sempre?), o rígido chefe de seleção, misterioso e cheio de segredos;

Michele (Bianca Comparato – Avenida Brasil), a moça rebelde em busca de vingança, que cresceu ouvindo que seu irmão foi assassinado na seleção, quando também participou do processo;

Joana (Vaneza Oliveira), de índole duvidosa, nem tinha como participar do processo, mas se meteu numa grande encrenca, e o usará para fugir daqueles que estão à sua procura, querendo lhe matar;

Rafael (Rodolfo Valente – Essas Mulheres), aquele típico espertalhão sem escrúpulos, disposto a fazer de tudo (até mesmo trapacear) para conseguir passar;

Fernando (Michel Gomes – Cidade dos Homens), o único paraplégico no processo, que sofre diversos ataques dos demais candidatos, por lhe acharem incapaz de passar para o lado de lá, já que as provas envolvem tanto o esforço físico quanto mental.

E por fim, mas não menos importante, temos o Marco (Rafael Lozano – Do Lado De Fora), o autoconfiante e de “bom” caráter. Famoso por toda a geração da sua família ter obtido sucesso nas provas.

Os candidatos são testados desde a primeira entrevista até a fase final, quando já foram aprovados, mas ainda resta decidirem se aceitarão ou não, uma regra peculiar sobre reprodução. A cada episódio vamos descobrindo a vida íntima de cada personagem – antes de chegarem ao processo – e nos surpreendemos com o passado daqueles que aprendemos a gostar. O mais bonzinho pode se revelar o mais macabro, assim como o mais suspeito à possível vítima. As provas por sua vez são bastante criativas, desafiadoras e principalmente  PERTUBADORAS, já que os candidatos estão sim sujeitos a mortes acidentais.

Destaco aqui o episódio 4, como o mais macabro de todos! E acredito que assim como eu, você também irá se decepcionar com determinado personagem. Muita coisa acontece na história e é necessário que você preste muita atenção, para que alguns detalhes não passem despercebidos! A trama é bem envolvente e tem aquele “Q” de suspense que todo mundo gosta!

Composto por 8 episódios, o seriado é original da Netflix e é brasileiro! A princípio não dei muito crédito por conta disso, mas eis aqui a prova que temos que valorizar as produções nacionais também, pois estão ficando cada vez melhores e ganhando mais espaço. Muitas tecnologias inexistentes no mundo real são reproduzidas na tela, tornando a história ainda mais interessante!

Sobre o final… bom, preciso compartilhar que me desapontei com a Joana (mas há quem diga que ela será um ponto chave na próxima temporada) e fiquei muito brava com o Fernando rs. Michele e Rafael arrasaram! Aliás, uma curiosidade bem legal, é que a cena final foi gravada no Parque da Juventude! (Reconheci aquele cenário rs).

Se você ainda está em dúvida se assiste ou não, vem dar uma espiada no trailer oficial!:

Já estou ansiosíssima pela segunda temporada!! E você? Já assistiu?? Me deixe saber nos comentários!! 😀

Publicado em Cinema

Chamada de Emergência

Título Original: The Call

Direção: Brad Anderson

Ano: 2013

Categoria: Suspense

Jordan (Halle Berry – Na Companhia do Medo) é uma atendente de call center do serviço de emergência dos Estados Unidos. Apesar de ser muito boa no que faz, comete um grande erro durante uma ligação, e a vítima morre por conta disso. Traumatizada com o ocorrido, ela não consegue prosseguir com a profissão, mas recebe a proposta de virar instrutora.

Seis meses depois, durante um passeio na operação com seus novos treinandos, outra terrível ligação acontece e ela precisa interferir naquele atendimento. Imediatamente o pesadelo do passado volta à tona e se depara com a mesma situação de desespero. Dessa vez a vítima é Casey (Abigail Breslin – Zumbilândia) presa no porta malas no carro de um estranho, sem ter a menor ideia de para onde está sendo levada ou o que irá lhe acontecer. Será que dessa vez Jordan conseguirá salvar a pessoa do outro lado da linha? 😳

O filme é simplesmente S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L! Fazia muito tempo que eu não assistia algo assim! Conseguiram mesclar suspense, ação e drama, fazendo com que você fique preso à tela do começo ao fim! Como não se surpreender com a garra da personagem Jordan? – Que tem ideias mirabolantes e empatia pela vítima -; Como também não se espantar com a maldade camuflada dentro de uma pessoa que até então poderia ser normal? Esse tipo de filme me causa bastante aflição, pois não é algo difícil de acontecer na nossa realidade, pelo contrário! Todos estamos propícios a topar com algum louco por aí, e dificilmente teremos uma Jordan para nos ajudar! 😰

Se você quer uma boa dica de filme para esse feriado, pode assistir a Chamada de Emergência sem medo! Só lhe recomendo NÃO ver o trailer antes, pois ele entrega algumas surpresas, que será bem melhor se você assistir sem saber. 😷

Se alguém aí já assistiu, não deixe de participar nos comentários! Vou adorar saber a sua opinião! 😊