Publicado em Biblioteca

O Demonologista

 capa-livro-demonologista

Título Original: The Demonologist

Autor: Andrew Pyper

Editora: Dark Side

Ano: 2015

David Ullman é um professor da Universidade de Columbia, especialista em mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã. Um ser humano totalmente cético, que apesar de estudar a Bíblia e correlatos, não acredita em Deus, muito menos no Diabo. Em suas aulas, David faz uma interpretação do livro sagrado de acordo com os dias atuais e as situações em que vivemos.

“‘Solidão’, prossigo. ‘É isso que toda essa obra significa. Não o bem contra o mal, não um esforço para justificar as atitudes de Deus para com os homens. Este é o caso mais convincente para provar – mais convincente que qualquer um da própria Bíblia – que o inferno é real. Não um fosso escaldante, não um lugar acima ou abaixo de nós, mas em nós, um lugar em nossa mente. […] É uma jornada terrível, até mesmo aterrorizante. Mas é uma jornada que todos nós temos de enfrentar, tanto hoje como naquela época'”. (Pág. 18 – Quando explica a passagem de Adão e Eva, em que ambos são banidos do Paraíso)

Por conta de todo o seu entendimento do assunto, David é procurado por uma mulher misteriosa que lhe impõe um trabalho em Veneza, sem lhe dar maiores detalhes. A única informação que possui, é que o pagamento por esse trabalho – seja lá qual for – é de uma quantia muito superior ao que está acostumado, o fazendo não descartar a proposta por completo. Ao chegar em casa, David é surpreendido por um problema familiar, fazendo com que opte pela viagem, no intuito de poder proporcionar um passeio legal para sua filha de onze anos, Tess. Durante o primeiro dia na Itália, pai e filha desfrutam do passeio, conhecendo alguns lugares turísticos sem que Ullman dê importância ao real motivo que o fez ir para lá. Porém, no dia seguinte, quando vai até o endereço que a mulher misteriosa lhe passou, descobre amargamente que nunca deveria ter feito aquela viagem! 💀

“Aos tropeços, saio do quarto e desço as escadas. Eu me recomponho, atravesso balançando a sala de espera vazia – nem sombra do médico – e chego à rua estreita. Saio correndo do número 3.627 sem olhar para trás, ainda que parte de mim queira fazê-lo, uma parte que sabe que, se eu olhar, o homem estará parado junto à janela do segundo andar, livre das correias, olhando-me com um sorriso irônico.” (Pág. 77)

Como podem ver, em poucas páginas o livro já começa a pegar fogo! Coisas tenebrosas acontecem com o professor depois dessa visita, envolvendo até mesmo sua filha. O desafio agora é descobrir o que está acontecendo em sua vida, estaria ele finalmente acreditando nas coisas que viu? Ou apenas beirando à loucura com bizarras alucinações?

Gostei muito do livro, mas confesso que perto do final comecei a ficar um pouco impaciente, já que eram muitas viagens, muitos mistérios, muitos enigmas – ou seja, muitos rodeios – e nenhuma explicação plausível para tudo aquilo. O final também me desapontou demais, já que o que serviria para concluir e fechar a história, apenas me deixou com mais um ponto de interrogação no meio disso tudo. Mas… vai ver foi justamente essa a intenção do autor, não deixar nada resolvido, para que o leitor crie diversas especulações do desfecho. Bom, eu gostei mais da história como um todo, do que como de fato ela terminou.

TRILHA SONORA

o-avanco-da-tecnologia-e-seu-impacto-no-poder-da-musica

A música ideal para essa história é “I Started a Joke”ConfidentialMX! Quer uma sonora mais misteriosa que essa? Haha.

E você, o que achou do livro? Gostou? Teve uma interpretação melhor que eu do final? Me deixe saber a sua opinião nos comentários!! 😃